10 outubro 2004

Música de Domingo

Imagem160.jpg

Depois da excelente incursão ao centro do país, é tempo de reflectir. E nada melhor que ouvir esta música transcendente – Miserere mei Deus (1629) – à vista da bela sugestão da nossa amiga Efigénia:

Um dia que seleccione música sacra para o blog, pode acompanhá-la destas imagens do “Mosteiro de S. Pedro das Águias”.
Imagem165.jpgÉ um local fantástico, numa “encosta ravinosa” nas imediações do rio Távora (entre Moimenta da Beira e Tabuaço). Ao que se supõe, tendo pertencido aos Beneditinos, passou para a ordem de Cister (séc. XII?).
Para mais informação sobre esta ermida, para além do testemunho de quem visitou este mosteiro este Verão, o livro “Cister no Vale do Douro” (ed. Afrontamento) é um documento interessantíssimo – que, de resto, abre bem o apetite para Excursões/Incursões pelo Douro, por Lamego e seus arredores. Havemos de voltar a falar disto!...
A música é um fragmento do Salmo 51 (1629), do italiano Gregorio Allegri (1582-1652).

4 comentários:

Anónimo disse...

Uma incursão no leitão ou na má língua?

Anónimo disse...

Caro Anonymous, o momento é de transcendência.

Anónimo disse...

São Pedro das Aguias
A lenda das origens do mosteiro de S.Pedro das Aguias conta a vida de um eremita, dois cavaleiros e os amores de um deles com uma princesa moura, filha do senhor árabe de Lamego. A primeira menção de S.Pedro das Aguias verdadeiramente cistercience terá sido em 1205 nas Actas dos Capitulos Gerais da Ordem. Este local outrora usado por eremitas, terá servido de primeiro mosteiro para os monges Cisterciences. Posteriormente construiram um novo mosteiro alguns km mais a norte.

Joaquim Manuel COUTINHO RIBEIRO disse...

Isto de falarem em ir a Lamego, só pode ser uma piada de mau gosto. Que mal lhes fiz eu, Senhor? Eu que, 2ª, 3ª, 4ª e 5ª vou a Lamego e já prometi que não volto, depois de terminar esta saga... Ok. Não gostam de mim. Percebo.