15 dezembro 2005

Manuel Alegre vence ligeiramente o debate com Mário Soares

Segundo a Eurosondagem, os inquiridos no estudo de opinião feito logo após o debate desta noite consideram que Manuel Alegre foi o vencedor do frente-a-frente que o opôs a Mário Soares, mas com uma vantagem muito reduzida.

Nesta "sondagem relâmpago", 20,7 por cento dos inquiridos dá a vitória a Alegre, enquanto que 19,3 por cento responderam que Soares foi o vencedor do frente-a-frente transmitido pela TVI.

Uma diferença de apenas 1,4 por cento que, tendo em conta o erro da amostra (3,56 por cento), atribui aos dois candidatos um "empate técnico".

Será que esta ligeira margem, que obtém Manuel Alegre sobre Mário Soares, reflecte o que vai acontecer nas eleições?!...

10 comentários:

Kamikaze (L.P.) disse...

Nao lhe sei responder, compadre...neste momento acho que ninguem sabe. Mas o que sei e que qualquer um de nos que escreve e comenta aqui neste blog (e muitos outros), que e como quem diz, qualquer pessoa que procure estar minimamente informada, teria alinhavado com mais facilidade do que qualquer um dos "debatentes" de hoje umas ideias mais substantivas sobre muitas das materias que foram abordadas (o tgv e so um exemplo...)!!! Compadre, eu que ate - pela 1ª vez na vida!!!- dei uma (nao dispicienda) contribuiçao em cash para a campanha de um dos dois debatentes (facil adivinhar qual, so um deles precisa...), nao posso deixar de, em consciencia, dizer (de ambos): que lastima...!

Primo de Amarante disse...

Eu referi o que disse a sondagem. No meu modo de ver, Alegre esteve melhor. Nehum deles me entusiasma, mas votarei Alegre. O PS prcisa de perceber que a seu pragmatismo utilitarista significa uma "traição" aos valores que lhe deram sentido. Aqui no Porto essa cultura fez entregar o partido ao que há de pior na política. O caso Sousa Franco foi significativo. Também perderam as eleições autarquicas pelas mesmas razões. No entanto,o PS tinha figuras de primeira linha, como Mari Elisa Ferreira, Braga da Cruz e outros. Mas a mediocridade mais rasteira não permitiu que esses fossem os candidatos. È certo que o PSD também é muito mau. Mas o mal do PSD de nada serve para o PS.

jcp (José Carlos Pereira) disse...

Esta sondagem, a que só responderam 40% dos inquiridos, porque os outros 60% ou não tinham visto o debate, ou não sabiam dizer quem ganhou ou não queriam responder, tem de ser lida com cuidado.
O próprio Rui Oliveira e Costa, da Eurosondagem, disse que, num inquérito destes, é natural que, por exemplo, os apoiantes de Cavaco, se acreditarem que o seu principal adversário é Soares, expressem a opinião de que foi Alegre a vencer o debate.
Esperava mais do debate, é verdade, mas penso que Soares conseguiu manietar Alegre e liderar o debate/conversa. De que valerá isso?

Primo de Amarante disse...

Todas essas circustãncias limitativas foram iguais para os dois candidatos.Mas, o que é certo é que Manuel Alegre ganhou, embora por ligeira margem.

As pessoas com quem falei esta manhã estão de acordo comigo: Mário Soares portou-se mal no debate ao pretender humilhar Manuel Alegre. Seguiu uma estratégia estalinista. Lembram-se do que aconteceu a Trotsky, quando falsamente escutou que nunca tinha desempenhado qualquer papel na Revolução Russa?!...

Humilhar o adversário para o desacretitar aos olhos do seu auditório, não é debater ideias, mas falta de respeito pelo adversário. Aliás a forma como no final do debate se referiu a Manuel Alegre é significativa: quis introjectar na consciência de quem o ouvia o que não fez parte do debate e diminuia Manuel Alegre.

Mario Sores foi o tipo de candidato que fala com as mãos nas ancas e não tem razão para desconsiderar Manuel Alegre, pois nunca deu o que deu Manuel Alegre pela democracia em Portugal.

Manuel Alegre temos de reconhecer que passou o que o diabo não passou e Mario Soares teve sempre a sua vida muito facilitada,mesmo quando movimentou influências para correr com um leitor numa universidade de paris(suponho que foi a Ssorbone )para ocupar o seu lugar.

E em Portugal, Mário Soares, foi sempre muito mais de esquerda quando não tinha o poder do que quando governava. Aliás os seus governos foram sempre marcados por governos pautados por critérios de amiguismo, o que é muito "chato" para quem reivindica o espirito republicano. Além disso, é um político que nunca olhou a meios para atingir os seus fins.

Fui amigo de Salgado Zenha, desde muito antes do 25 de Abril. No Marco há quem saiba isso. levei Salgado Zenha ao Marco, quando estive na direcção dos bombeiros. Sei de coisas que, agora, não vou dizer. Em suma: nunca votei no Mario Soares, por muitas razões. Perfiro o voto em branco. Não acredito na sua retorica de esquerda. Foi sempre uma esquerda do «troca o passo».

zezepovinho disse...

Para pessoas politicamente maduras, é evidente que Soares ganhou o debate, dentro do eleitorado que lhe interessa captar, que é maioritariamente votante no PS.
Para os adversários de Soares e que não são votantes no PS mas não votarão Alegre, à direita e à esquerda, Alegre ganhou o debate.

Alegre mostra muitas fragilidades de conhecimentos técnicos do domínio da política e do exercício dos poderes presidenciais. Não foi só neste debate, já noutros anteriores.
Cavaco vai ganhar à primeira volta devido à idade de Soares, o que é pena porque Soares ainda me parece ser de longe o mais capaz e mais competente para Presidente da República.

Primo de Amarante disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Primo de Amarante disse...

Não sei se foi bem assim. Nem sei se Mario Soares estará nas condições ideais para assumir o papel de PR. Vejo-o muito debilitado, a precisar da "cábula" para falar.De qualquer forma, respeito outros pontos de vista e vindos de uma maturidade política, até lhe tiro o chapéu (sem deixar de manter a minha posição, naturalmente.)

Sobre os poderes do PR não me parece que haja muitas dificuldades em entendê-los: cabem numa mão bem pequenina. Como exercê-los? É um problema mais de retórica.

Podiamos dizer que o que está em jogo nestas eleições é mais uma questão psicológica do que de outro género. Está a acontecer o mesmo que acontece ao Benfica antes de entrar em jogo. Todos discutem o árbitro, levantam o espanhalho do "apito dourado", mas logo que começa o jogo, todos estão convencidos que o resultado não vai depender do árbitro.

Primo de Amarante disse...

O problema da eleição (previsível) de Cavaco Silva não se põe nestas eleições, mas daqui a 4 anos. O PS, se perder as próximas eleições, fará com a direita tenha aquilo que sempre desejou: um presidente e um governo. Se esse governo for de maioria, naturalmente poderá levar para a frente todas as mudanças que desejarem e tornar o regime num regime de autoritarismo. E este é o problema. Mas quem o tem de resolver é o PS.

M.C.R. disse...

Meu caro compadre

sou um assumido apoiante de Alegre mas não será por isso que deixarei de ser amigo de Mário Soares.
Indo por pontos:
a) Soares nunca foi "leitor" em Paris e muito menos na Sorbonne. foi professor em Rennes e não tirou o lugar a ninguém tanto mais que não havia lá nehum outro português e o lugar foi especialmente criado para ele.

b) Soares passou as do algarve: foi várias vezes preso, foi espancado, foi clandestino, foi militante do Pc, pertenceu a tudo o que era "oposicrática", reviralho o que queira

c) Soares formou-se em Direito porque rapidamente o proibiram de dar aulas.

d) Ser filho de pai abastado (João Soares, ex-ministro da 1ª republica e dono do colégio Moderno) não o pode condenar a nada

d) soares foi degredado para S.Tomé e se lá conseguiu viver foi porwue houve muita coragem de alguns habitantes do lugar. Mas passou sérias dificuldades.

e) soares também foi obrigado a fugir do país e exilar-se, como o Manuel. Teve melhor vida. É verdade mas isso porque quando chegou ao exílio já era um homem com trinta anos de vida política anti-regime, era conhecido quanto mais não fosse pelos casos "assassínio de Delgado" e "Ballets roses".

f) o facto de V. ter sido amigo do Zenha (como eu e muitos outros) não tem nada a ver com as posições de Soares, que é um homem de esquerda (não da sua, um pouco da minha, mas da esquerda sem qualquer dúvida) não impedirá de reconhecer que nesta discussão o fantasma de Z não entra.

g) Por favor não compare Soares e Alegre quanto ao que deram e não deram. Deram muito. Muitíssimo. Não é possível fazer esssa contabilidade. Não se deve fazer essa contabilidade. Deixe isso aos que contabilizavam anos de prisão para diminuir os que tinham menos.

Querida Kami:
Também eu, aqui do meu cadeirão sem as lamparinas da tv em cima, sem o calor, o peso das responsabilidades e o stress da campanha teria feito melhor. Todavia o nervoso miudinho, a organização do debate, aquele corta-muda- entra, os sinais do lado de trás da câmara que a malta não vê e tudo o resto torna a coisa muito incerta. Aí acho que Soares tinha uma certa vantagem pois já tem um muito maior traquejo.
Houve um tempo (ai, que já lá vai...) em que a televisão me convidava amiúde para programas a horas mortas. Jesus! o primeiro!!!, que nervoseira... eu balbuciava, corava,, mexia as orelhas, tinha comichão no nariz, um desatre. À medida que me fui habituando tudo aquilo passou. Já sabia inconscientemente para que câmara olhar já contava umas anedotas, já fazia caretas ao ouvir os outros (e a tv pela-se por estes truques..., os malandros), enfim aquilo era uma borga. O mesmo de resto me sucedeu quando comecei a intervir em assembleias estudantis. Naufrágios sussivos até ter mão firme no leme e saber bolinar.
Julgo em consequência que os nossos políticos deveriam começar a ter mais respeito pela malta e treinar as intervenções televisivas. Para poderem comunicar com verdade e para não chatearem a malta.
Abraços a ambos

Primo de Amarante disse...

A minha informação não coincide com a sua. De facto, foi em Rennes. Já o pude confirmar. O resto da sua história também a conheço, mas tenho sobre alguns casos uma perspectiva diferente. Não estou para alimentar uma polémica sobre Soares. Repôs o meu amigo a verdade sobre alguns factos que eu, embora os conhecesse, não me lembrava. De qualquer maneira, continuo a pensar que Manuel Alegre sofreu muito mais que Soares. Tenho amigos que acompanharam muito de perto a sua vida até Argélia. Mas não vou continuar a alimentar esta polémica e estou mesmo arrependido de a ter começado. Foi tudo por me indignar com a humilhação que Soares quis fazer a Alegre.
Mas penso que o meu amigo MCR fez muito bem em fzer as suas correcções, que lhe agradeço.