24 dezembro 2005

será natal

será natal mesmo nos confins
de terras conturbadas
pelas mortes entre irmãos.
será natal para além
das nossas paredes .

será natal mesmo que não creiamos
nas divindades a salvar o mundo
perdido por nós mesmos.

será natal no significado
quando tivermos nas mãos
a sabedoria de resgatar quem somos.

será natal um dia
antes que amanheça o dia,
as vozes em uníssono nos braços
entrelaçados pela noite.


silvia chueire

7 comentários:

Primo de Amarante disse...

Que o poema seja votos para que passe um Natal Feliz

Cabral-Mendes disse...

Um poema cheio de Verdade e de Esperança!

Lindo!!!!!!!!!!!

Silvia Chueire disse...

Sim, compadre, o poema era votos, era também esperança. Obrigada a você. Muito obrigada.

Delfim,
Obrigada também a você pela leitura. Este poema terá uma revisão, penso. pode melhorar.

Abraços aos dois,
Silvia

M.C.R. disse...

Para quem sobreviveu a mais um Natal e já está de regresso sabe bem este poema (eu ia a dizer fresco mas parece que por aí a palavra tem um significado totalmente diferente do de cá.) Um abraço

Silvia Chueire disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Silvia Chueire disse...

Ah não, fresco aqui tem o mesmo significado que aí. Ainda que também tenha aquele outro que vc sabe . ; )
Obrigada pelas palavras.

Abraços,

Silvia
ps:apaguei o comentário anterior porque havia saído com dois erros grandes de digitação.

Cabral-Mendes disse...

Querida Sílvia, o seu poema, para além de belo, assinala grandes verdades.

Como disse o saudoso João Paulo II, “O Natal é acontecimento de luz, é a festa da luz: no Menino de Belém, a luz primordial volta a resplandecer no céu da humanidade e dissipa as nuvens do pecado. O fulgor do triunfo definitivo de Deus aparece no horizonte da história para propor aos homens em caminho um novo futuro de esperança.”

Esse futuro de esperança já a Sílvia fala dele.

Beijos,

dlmendes