10 janeiro 2006

O que é isto?

Manuel Alegre recusou os serviços de segurança da PSP, a que os candidatos presidenciais têm direito, por recear actos de espionagem do PS, nomeadamente do Ministério da Administração Interna (MAI). Ao JN, Alegre disse que a opção não foi sua, afirmou que confia nos agentes e nas hierarquias da PSP, mas remeteu-se ao silêncio quando questionado sobre se contratou segurança privada por temer fugas de informação "patrocinadas" pelo ministro António Costa.
Uma fonte do MAI afirmou, ao JN, que "a situação é tão patética" que "nem merece comentários".


Extracto de uma notícia do JN de hoje, 3ª. E assim vai este país. Ou esta Pátria. Seja ou não verdade, a perplexidade é a mesma.

9 comentários:

Primo de Amarante disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Primo de Amarante disse...

Pode ser que haja uma interpretação do JN que não seja totalmente correcta. Como sabe, nestas questões da política, os recadeiros enchem os ouvidos de quem escreve daquilo que lhes convém e há muita gente de boa-fé.

De qualquer forma, prefiro que Manuel Alegre fique em 2º lugar. Já reparou na comissão com que Mário Soares se sente honrado?!...

Ao olhar para aquelas criaturas fico arrepiado. E alguns já se perfilam para ocuparem os lugares na concelhia e na distrital do Porto, como é o caso dos gasparinos e também conhecidos pelos alcapones.

Olhe! Até digo mais… A vitória de Cavaco (em quem não votarei) não é má para o PS. Vai funcionar como um choque de água gelada que obrigará o partido a perder a arrogância que lhe faz confundir os interesses do Estado com os interesses dos seus barões.

Se Mário Soares (que é óptimo na oposição)ganhasse, o partido corria o risco de se descredibilizar de tal forma que a seguir estaria 20 anos na oposição.

Tem dúvidas?!...

Coutinho Ribeiro disse...

Não,nõ tenho dúvidas. Tenho apenas uma certeza:se não votasse Cavaco e talvez até votasse Alegre. Acho que Soares é um recuo.
A razão da minha perplexidade é o facto de poder haver, como diz a notícia, a possibilidade de haver espionagem policial na campanha de Alegre ao serviço do PS. Ou, então, não haver nada e ter sido usado este argumento como arma de arremesso político. É grave em qualquer caso.

Primo de Amarante disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Primo de Amarante disse...

Só mais uma coizinha: Já reparou na preocupação de Mário Soares com os banqueiros! Então quem foi que lhes disse que Cavaco silva seria um bom presidente!...

Dá conselhos e depois não quer que os sigam!

Isto não é uma campanha, é uma manifestação de surrealismo.

Primo de Amarante disse...

Voltou a aparecer o "primo". embora goste muio desse pseudónimo: foi como me tratavam, há anoss, os melhores amigos (e ainda hoje me tratam--que o diga o Seruya!). Aqui sou compadre e como compadre o que eu disse, onde estava o "primo" foi o seguinte:


Grave?!... essa categoria desapareceu das campanhas eleitorais. Já reparou que na campanha é o «vale tudo!...»

Grave é a situação da minha perdigueira e, por isso, vou já até ao Marco.

Dizia eu,antes de verificar que comentava em "primo". Complicações da cibernética!!!!!

10/1/06

jcp (José Carlos Pereira) disse...

Já ouvi hoje na rádio que António Costa, himself, telefonou à sua amiga Ana Sara Brito, directora de campanha de Alegre, a perguntar se isto era verdade. Que não senhor. Só que Alegre preferia ter seguranças privados, “voluntários” e seus apoiantes.
Aliás, pelo menos um deles é brasileiro e deve ser apoiante de Manuel Alegre desde pequeno.

Primo de Amarante disse...

A relação de certos políticos com a comunicação social entrou na paranóia e faz-me lembrar o que se conta de Angola. Então, não é que me garantiram que o assessor de Manuel Moreira, (Pres.da Câm. do Marco)telefonou para um jornalista indignado por só vir uma fotografia nesse Jornal do seu presidente e a repostagem não ser mais desenvovida. Confio na pessoa que me disse isto.

Até me arrepio!

Coutinho Ribeiro disse...

E não foi só isso,compadre...