11 março 2008

Eles “andem” aí

A novela da liderança de Menezes promete arrastar-se de forma penosa. Anunciam-se processos e audições pelos órgãos disciplinares a dirigentes que vêm dizer o óbvio (ver aqui). A “golpada” preparada pela actual Direcção do PSD visa, única e simplesmente, preparar o terreno ao aparelho e aos sindicatos de voto.

Ressalvo, no entanto, que a minha denúncia seria igual no caso desta deriva acontecer em outros partidos com responsabilidades de poder, como é o caso do PS. As regras de Estado têm de começar por ser praticadas nos sufrágios internos dos partidos políticos. E nós sabemos bem como se toma(va) de assalto o poder dentro das secções partidárias.

2 comentários:

JM Coutinho Ribeiro disse...

Tudo sem esquecer, no entanto, que Menezes chegou à liderança com as regras actuais. Sem chapeladas, portanto :-)

M.C.R. disse...

como diz o Carteiro, é verdade que Meneses ganhou limpamente as eleições provando que os barões são uma fantasia antiquada.
Pessoalmente não tenho nada contra o pagamento das quotas em dinheiro. Não é por aí que o bicho entra.
O bicho entra pelas amizades suspeitas, pela passagem fulgurante dos cargos de Estado à Privada (e não vou citar nomes, nossos, da esquerda...???) pela mistura espúria do interesse privado com o cargo público.