01 agosto 2004

A poesia e Kerry

Segundo o Público de ontem, sábado - dia em que o carteiro ficou mais velho - John F. Kerry fez o discurso "da sua vida", na Convenção Democrata. Quem redigiu boa parte do texto foi Terry Edmonds, que já tinha sido autor de algumas das mais notáveis intervenções públicas de Clinton. No artigo, é apresentado como sendo um mestre em escolher as palavras certas. É ele o autor da ideia de introduzir no discurso de J. Kerry a frase central da sua campanha - "Deixem a América ser outra vez a América" - , frase esta que retirou de um poema de Langston Huggues. Terry Edmonds explica: "Sempre que posso, tento incluir poesia num discurso. Se é apropriada, penso que o eleva, que é capaz de de tocar uma audiência de uma maneira que a prosa não consegue".
Resta-me dizer três coisas: 1ª - viva a poesia; 2ª - gostava de ser poeta; 3a - é pena que os nossos políticos não leiam poesia.

13 comentários:

Silvia Chueire disse...

Ontem ( aqui hoje ainda ) junto comigo, carteiro?
Parabéns !

Joaquim Manuel COUTINHO RIBEIRO disse...

Faz anos a 31 de Julho?

Manuel disse...

Quanto ao ponto 3, bem, eu lá vou lendo em quantidades industriais...

Silvia Chueire disse...

Faço ! : )

Kamikaze (L.P.) disse...

Parabéns a ambos, Eugênia e Carteiro (pelos vistos o Carteiro sobreviveu...).

Silvia Chueire disse...

Obrigada, Kamikaze. : )
Um abraço.

Joaquim Manuel COUTINHO RIBEIRO disse...

Parabéns à Eugênia. Obrigado à Eugênia. Obrigado à Kamikaze (sobrevivi, mas sabe-se lá como...).
Aliás, eu já estive a tentar dormir, mas lembrei-me que hoje,1 de Agosto, faz anos, também, que me casei. Curiosamente, já não me lembro do dia em que me divorciei. E nem sei se foi em 1999 ou em 2000. Acho que foi em 2000.

Silvia Chueire disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Silvia Chueire disse...
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.
Silvia Chueire disse...

Perdoem, algo deu errado e o comentário repetiu-se. E desapareceu a possibilidade de deletar o excesso.

Silvia Chueire disse...

Já que ressurgiu a lixeirinha e ficaram deletados vai aqui o comentário anterior, coisa pouca. Dizia: " acasos são coisas engraçadas".
Obrigada

Zu disse...

Parabéns, Carteiro e Eugénia.
Também gostava de ser poeta. Às vezes faz imensa falta.

marinquieto disse...

Parabéns!