10 janeiro 2006

Ensino superior

Ministério Público está a investigar ISCE de Felgueiras - Responsáveis indiciados por corrupção, tráfico de influências e favorecimento pessoal

  • O Ministério Público está a investigar o Instituto Superior de Ciências Educativas (ISCE) de Felgueiras por alegadas irregularidades no seu funcionamento, disse fonte ligada ao processo, citada pela Agência Lusa.
    Os responsáveis alegadamente envolvidos são indiciados por corrupção, tráfico de influências, favorecimento pessoal e participação em acto ilícito.
    Fonte do Ministério Público confirmou à Agência Lusa a existência de um inquérito, mas escusou-se a adiantar mais pormenores, afirmando que o processo se encontra em segredo de justiça.
    Em causa estarão várias irregularidades alegadamente relacionadas com o Conselho Científico, com a acumulação de funções e horários de docentes, funcionamento ilegal de cursos, docentes a exercer sem possuir grau superior e equivalências assinadas em nome do presidente do Conselho Científico por outra pessoa.
Notícia do JN de hoje. Não me espanta. Há já vários anos que previ que esta proliferação de escolas "superiores" não ia dar bom resultado. Percebi isso quando dias depois de ter decidido ir fazer outro curso superior fui convidado para dar aulas na escola onde tinha decidido ser aluno... É engraçado, não é?

2 comentários:

O Hóspede disse...

OS EXDRUXULOS TEMPOS MODERNOS

Embora não tenha a ver com o assunto do post, aproveito para colocar aqui um texto que corre na net. A ser verdadeiro, é merecedor de muita expansão, porque é exemplar dos novos tempos modernos.

###

De acordo Com O Correio da Manhã, Maria Monteiro, filha do antigo ministro António Monteiro e que actualmente ocupa o cargo de adjunta do
porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros vai para a embaixada portuguesa em Londres.
Para que a mudança fosse possível, José Sócrates e o ministro das Finanças descongelaram a título excepcional uma contratação de pessoal
especializado.
Contactado pelo jornal, o porta-voz Carneiro Jacinto explicou que a contratação de Maria Monteiro já tinha sido decidida antes do anúncio da
redução para metade dos conselheiros e adidos das embaixadas.
As medidas de contenção avançadas pelo actual governo, nomeadamente o congelamento das progressões na função pública, começam a dar frutos.
Os sacrifícios pedidos aos portugueses permitem assegurar a carreira desta jovem de 28 anos que, apesar da idade, já conseguiu, por mérito próprio e com uma carreira construída a pulso, atingir um nível de rendimento mensal superior a 9000 euros.
É desta forma que se cala a boca a muita gente que não acredita nas potencialidades do nosso país, os zangados da vida que só sabem criticar a juventude, ponham os olhos nesta miúda. A título de curiosidade, o salário mensal da nossa nova adida de imprensa da embaixada de Londres daria para pagar as progressões de 193 técnicos superiores de 2ª classe, de 290 Técnicos de 2ª classe ou de 290 Assistentes Administrativos.
O mesmo salário daria para pagar os salários de, respectivamente, 7, 10 e 14 jovens como a Maria, das categorias acima mencionadas, que poderiam muito bem despedir-se, por força de imperativos orçamentais.
Estes jovens sem berço, que ao contrário da Maria tiveram que submeter-se a concurso, também ao contrário da Maria já estão habituados a ganhar pouco e devem habituar-se a ser competitivos. A nossa Maria merece.
Também a título de exemplo, seriam necessários os descontos de IRS de 92 portugueses com um salário de 500 Euros a descontar à taxa de 20%.
Novamente, a nossa Maria merece.

M.C.R. disse...

Claro que a Mariazinha merece. então não "havera" de merecer? Os jornais é que só vêm mal ...
Quanto ao caso do instituto em apreço, apetece dizer que está no lugar certo e no tempo certo.
Se houvesse vontade política acabavam hoje mesmo cem escolas superiores privadas.