22 dezembro 2008

A varapau 4


Pouca memória e menos vergonha


Parece que o senhor coordenador distrital do PS entendeu por bem convidar o ex nº 2 de Torres para candidatosocialista pelo Marco de Canaveses. Esta é a notícia que já terá motivado protestos do silenciosíssimo Francisco de Assis, ex candidato à Camara do Porto.
Tudo leva, pois, a crer que a ideia luminosa da luminária que dá por Renato Sampaio, seja verdade. Surpresa? Nem por isso: o PS está como está, o desespero nunca foi bom conselheiro e a Sampaio esta jogada de alto malabarismo terá aparecido como a vera resolução do 3º mistério de Fátima.
Eu sei quepor aí ainda andarão pessoas que ao saberem disto se sintam aflitas. Até eu e já vi coisas praticamente identicas. Ainda há um par de anos, em Esposende, o PS foi buscar um rapazinho que até poucos dias antes fora o nº 2 (grande força tem este algarismo!) do presidente eleito do PSD. O rapaz ambicionava subir para a presidencial cadeira mas tantas terá feito que o relutante presidente que lhe entregara por algum tempo a gestão camarária, entendeu fazer das trias coração e recandidatar-se. A criaturinha escafedeu-se para o PS que o aceitou com vivas e hossanas. Perdeu, obviamente as eleições porque os eleitores não são poarvos nem gostam de passar por tal. E o PS continua num sólido jejum nesta amável praia.
Poderia citar outros casos, conhecidos, mas a quadra natalícia manda que não se mexa demasiadamente na bosta.
Fiquemo-nos pois neste enredo marcoense que, a ser verdadeiro (do que não duvido) e a manter-se (coisa que espero que não ocorra) mostra bem de que farinha se fazem alguns próceres socialistas nesta invicta cidade. Estão felizmente (para eles) mortos os Cal Brandão, o António Macedo, o Eduardo Ralha ou o José Luís Nunes, fundadadores do PS portuense e nacional. Já não terão de corar perante esta parvoejada eleitoral que duvidosamente terá resultado positivo (isto é ganho de eleição) porque estou em crer que as gentes do Marco por muita simpatia que sintam pelo PS não comerão um Ferreira Torres de 2ª via.
E agora digam-me que passo a vida a embicar com o virtuoso partido socialista…

d'Oliveira que se sente como a pessoa a quem sai a fava do bolo rei

4 comentários:

JM Coutinho Ribeiro disse...

Isto bateu no fundo, meu caro d'Oliveira.

O meu olhar disse...

Concordo plenamente!

jcp (José Carlos Pereira) disse...

A decisão da Distrital do PS, caro d'Oliveira, ultrapassou os limites do imaginável e do aceitável. Nada que me surpreenda, contudo, atendendo a atitudes que esses senhores (não) tomaram há mais de um ano atrás, quando os interpelei sobre uma decisão da Concelhia local que acabaram por ratificar tácitamente.
Veja lá no que estou metido, d'Oliveira, eu que sou o primeiro eleito pelo PS, ainda que na qualidade de independente, na Assembleia Municipal de Marco de Canaveses.

d' Oliveira disse...

Os caros confrades JM Coutinho Ribeiro e José Carlos Pereira (Juntamente com o Primo de Amarante) bateram-se corajosamente e durante anos contra a fossa camarária instalada em Marco de Canaveses. Sabem muitos quanto isso foi dificil e o que isso representou de limpa cidadania numa terra abandonada à gula de um individuo que nem sequer me apaetece qualificar quanto mais nomear.
essa longa e solitária luta acabou por ser vencedora quer no Marco quer em Amarante.
Agora, a decisão de uma criatura que confunde política com baixa mercearia (cfr. Público de hoje) deita tudo isso por terra. Também deita por terra a tradição socialista, a tradição democrática e o mais comezinho bom senso.
A única palavra que me vem à cabeça é desvergonha. Isto para não citar Antero de Quental que se referia a um conhecido político sob o carinhoso termo "esgoto moral".
A política de terra queimada que é prosseguida por esse líder "socialista" (e por quem o apoia, há que dizê-lo) que apela ao transfuguismo político e à baixa contabilidade de votos tem de ser denunciada e sobreetudo derrotada. A manter-se esta proposta de lista eleitoral autárquica há que votar resolutamente contra esta malgáma "siciliana" e políticamente tenebrosa.